Ao passar o tempo
Encontras-te uma armonia silenciosa
A cada passo se oponha
Numa esperança em vão
Fechada entre os mormorios
Apareces-te em vão
Agarraste-te e olhas-te para mim
Persuadir sem merito
Sem poder de tal comparação
Onde teu espirito
Se guarda
Onde se desguarda
Mas um sempre lá
Com medo mas me agarrando a ti
O poder fica em vão ................

0 comentários: