Ninguém sabe o que sinto
Ninguém vê o que vejo
Ninguém sabe o que doí

Em silencio guarda mil e uma coisas
Agulhas farpadas
Com linha que marca a vida
A cada buraco tento 
Enfrentar a linha que me encaminha
Que me derruba
Nesta esperança 
Mas agora ninguém pergunta-me como posso ser feliz 
Se ninguém vê a minha esperança e o que os meus olhos dizem
Então agulha porque não usas essas linhas
Para cozer este buraco que sente esta enorme dor??? 

0 comentários: